Andar

Uma pequena obra-prima de um dos escritores mais importantes do século 20

Em passeios por Viena, Oehler relata a história de como Karrer enlouqueceu e foi internado no hospital psiquiátrico de Steinhof.

A prática de pensar até o limite era, para Karrer, uma arte cerebral. Mas será que podemos realmente saber se estamos no limite de um pensamento? Quando se ultrapassa o limite da sanidade em direção à loucura definitiva? Oehler, amigo de infância de Karrer, tenta juntar os cacos de circunstâncias para encontrar uma resposta.

Ler um trecho

Trecho do posfácio de Bernardo Carvalho

(...) A literatura de Bernhard é uma forma de resistência. Ela nada tem a ver com melancolia ou niilismo. O pensamento é fatal quando levado às últimas consequências, ou seja, quando supomos o fim da dúvida, quando exigimos as respostas. O que a literatura propõe – e a frase de Bernhard escancara – é a possibilidade de pensar em permanência, por desdobramentos, contradições e contrassensos, às gargalhadas, sem cair na armadilha do “desespero fatal” da busca pela resposta definitiva. É preciso interromper o pensamento antes de fazermos as perguntas fatais, que buscam o fim: “Se eu tivesse discernimento o tempo todo, ele diz, já teria me matado há muito tempo, mas não me matei justamente porque não tenho discernimento o tempo todo”.

A sombra de Wittgenstein ronda toda a obra de Bernhard. Verdade e mentira são postas à prova sem parar, pela lógica interna da linguagem, por essa frase que avança a contrassensos. A existência é equívoco, diz Oehler. A pergunta levada a cabo é a que pressupõe o fim da dúvida e a morte. A frase espiral e infinita de Thomas Bernhard é, ao contrário, a vida em andamento, no seu pico de energia vital. (...)

As caminhadas

Clique nos ícones do mapa para ver detalhes do percurso dos protagonistas de Andar

Thomas Bernhard
Thomas Bernhard em Sintra, Portugal (1987). Fonte

Thomas Bernhard

nasceu em Heerlen, Holanda, em 1931 e morreu em Gmunden, Áustria, em 12 de fevereiro de 1989. Considerado um dois maiores escritores da segunda metade do século XX, Bernhard escreveu poemas, contos, romances, peças e artigos; suas obras completas estão reunidas em 22 volumes.

Copyright © 1971 Suhrkamp Verlag, Frankfurt am Main // Editora Brasileira de Arte e Cultura // ISBN: 978-85-63186-42-3